Qual o problema namorar não crentes?

Esse assunto rende uma polêmica!

Qual o probelma namorar não crentes?

Existem dois tipos de pessoas que podem vir a fazer essa pergunta: uma que realmente tem dúvidas e quer uma orientação; e outra que apenas quer justificar sua própria conduta.

Vale ressaltar que não existe o “Ministério de Namoro Missionário”, ok?
Mas o que é isso?
Pessoas que estão namorando com a intenção de converter o amado ou a amada com um beijo “sagrado” de língua.
Cuidado! Quem brinca com fogo pode realmente se queimar!
Pelo que eu saiba, essas missões translinguais nos levam a outras coisas…

Mas, vamos lá!

Em primeiro lugar, o que nos diz a Bíblia?

“Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas?

Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo?

Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuário do Deus vivente, como ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.” (II Coríntios 6:14-16)

Vamos entender melhor o porquê dessa orientação…

“Agora, pois, fazei um carro novo, tomai duas vacas com crias, sobre as quais não se pôs ainda jugo…” (I Samuel 6:7)

Jugo é uma canga ou trave de madeira que se coloca no pescoço de animais da mesma espécie para puxar o carro ou o arado.
Se colocarmos um boi e um cavalo para puxarem o mesmo carro, teremos muitos problemas. São animais diferentes, com tamanhos diferentes, naturezas, temperamentos e hábitos diferentes.

O jugo existe, não com a finalidade de prender as pessoas inultilmente, mas para que ambos possam caminhar na mesma direção e realizar o mesmo trabalho.

Percebe como podemos aplicar o real sentido da palavra jugo para entender o que Deus nos orienta?
Galera, por isso que eu amo a Bíblia! Ela nos responde tudo de uma forma tão simples, pena que nós compliquemos tudo…

Enquanto nós, cristãos, lutamos para fazer morrer a nossa natureza terrena (Leia colossenses 3:5), o não crente tem isso como objetivo declarado ou escondido – Naturezas diferentes.

Como podemos pensar que não há problema?
Enquanto um desejar ir para a Igreja, o outro vai desejar ir ao barzinho encontrar com a turma – Hábitos diferentes.

As expressões “vida conjugal” e “conjuge” derivaram da palavra jugo. São pessoas que caminham juntas e estão debaixo do mesmo senhorio.
Precisamos estar debaixo do mesmo senhorio. Ou seja, Jesus precisa ser senhor dos dois.

“Não vos ponhais em jugo desigual…” (II Coríntios 6:14a)

A Bíblia sinaliza o que nos é prudente fazer.
Se estava indo nessa direção, olhe para o sinal, pois está amarelo e é melhor não ultrapassar.

Ah! Mas não podemos ter isso como uma regra inflexível! (Você pode estar argumentando…)

Mas saiba que não estou falando apenas de teoria, pois já acompanhei casos e posso afirmar que as consequências não foram boas.
Existiu um raro caso que deu certo, pois a pessoa recebeu a Jesus e foi transformado. Mas é muito raro mesmo…

 

 

Fonte: http://www.galeraradical.com.br

Anúncios

Seu comentário é importante para nós! :D

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s